Apresentação Vitória Na Veia

Para falar do Vitória Na Veia será necessário voltar no tempo até janeiro de 2011. O Vitória era rebaixado pela segunda vez em pouco tempo, e naquele momento de muita consternação e indignação dos torcedores, eu tinha pensado em começar novos desafios. Afinal, gosto de ser desafiado e, posteriormente, conseguir êxitos, mesmo que tudo seja bem trabalhoso.

Naquele momento, a ideia era fazer um blog que falasse do Leão da Barra e fosse algo diferente do que eu já fazia num outro espaço. Mas tive de guardar este projeto, pois tomei conhecimento da Geral do Vitória, que estava abandonada antes do fim da Copa do Brasil. Considerei as informações devidas e acabei aceitando aquele “chamado”, e lá, fiquei por quase um ano inteiro como o único responsável pelo espaço. De lá para cá, alguns amigos ajudaram na caminhada e praticamente todos se mantiveram lá.

Tudo ia muito bem até que, por ironia do destino, o site Geraldinos passaria por uma série de mudanças em 2013 e o nosso espaço seria desativado. Foi algo realmente inesperado, pois inúmeros projetos tinham começado a sair do papel.

Não tendo outra alternativa, eu tinha de comunicar para a equipe o que havia ocorrido e o que estava por acontecer. Sendo assim, o antigo projeto voltou com força total. Ironia do destino ou não, o Leão acabou regressando à Série A e o sangue rubro-negro vem pulsando cada vez mais forte em cada um de nós.

A partir de hoje (22/02/2013), a antiga Geral do Vitória encerra oficialmente as suas atividades no antigo local, ao mesmo tempo em que evolui e passa de um blog para um novo site totalmente independente e com diversas inovações. Mesmo assim, nossa antiga casa nos trouxe coisas que repercutiram e decidimos mantê-las por aqui.

Apresentamos aos nossos antigos e futuros novos leitores, o Vitória Na Veia. Ele não surgiu com o intuito de ser “mais do mesmo”, mas sim fazer a diferença. É claro que recomeçar (em nosso caso, começar do zero) será um grande desafio, mas torceremos para que o melhor sempre seja feito.

Sejam bem-vindos, rubro-negros!

Atenciosamente,

Carlos Lima.